Entidades de classe elogiam escalonamento do comércio


Representantes de entidades de classe, que representam o comércio varejista em Feira de Santana, aprovam as medidas adotadas pelo prefeito Colbert Martins Filho no enfrentamento a pandemia do novo coronavírus. O Decreto Municipal 11.606, publicado no Diário oficial nesta segunda-feira, 15, prevê a reabertura do comércio em Feira de Santana de forma gradual, seguindo um escalonamento de funcionamento para cada atividade em respectivos dias. (veja matéria neste link)

O gestor municipal recebeu em seu gabinete, na manhã de hoje, o presidente da Associação Empresarial e Comercial de Feira de Santana, Marcelo Alexandrino Souza; o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas, Luis Mercês; o representante do Sindicato do Comércio, Marco Silva; e o coordenador regional da Associação Brasileira de Shoppings Centers, Edson Piaggio. O secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Antônio Carlos Borges Júnior; e o vereador Marcos Lima também acompanharam o encontro. 
Na oportunidade, o prefeito ressaltou que a nova medida visa garantir a manutenção dos empregos, ao mesmo tempo em que os protocolos de segurança devem ser adotados visando frear a disseminação do novo coronavírus. "Cada segmento funciona em dias específicos, seguindo um escalonamento. E vamos fiscalizar o cumprimento de todos os protocolos de saúde pública exigidos neste momento", frisou.
O representante da Associação Brasileira de Shoppings Centers, Edson Piaggio, elogiou a decisão do Governo Municipal e destacou que os estabelecimentos estão preparados para seguir protocolos ainda mais complexos, no que diz respeito a prevenção do novo coronavírus. "Todos os clientes terão a temperatura corporal aferida, a quantidade de pessoas em cada loja será rigorosamente controlada, e todo esse protocolo vem a somar para o poder público no enfrentamento a essa doença", considerou. 
O presidente da ACEFS, Marcelo Alexandrino, observou que a reabertura gradual de algumas atividades comerciais representarão uma sobrevida para a economia local. "Entendemos a necessidade das medidas restritivas que foram adotadas até então, mas é importante essa reabertura, de forma gradual. São empregos que serão mantidos, mas sem comprometer a preocupação com a saúde de todos", salientou. 
Para o representante do Sindicato do Comércio, Marco Silva, a perpectiva é que a economia local se recupere gradativamente. "Estudos e levantamentos apontam que 30% dos empresários não conseguirão reabrir. Acreditamos que esse índice se reflita também em Feira de Santana. Mas infelizmente é algo que afetou todo o mundo e com muito trabalho vamos conseguir vencer". 
O presidente da CDL, Luis Mercês, explicou que os protocolos de higiene são seguidos rigorosamente pelos lojistas feirenses. "Geralmente nas lojas trabalham os proprietários, seus familiares, assim como demais comerciários, e a preocupação com a saúde é algo sempre presente. Ninguém quer adoecer. Então todos os cuidados são tomados e com o máximo rigor", destacou.  

Postar um comentário

0 Comentários