Coronavírus na Suécia: a sincera admissão do epidemiologista que criou estratégia do país contra pandemia



Terra - A decisão da Suécia de não impor um bloqueio mais duro em resposta à pandemia da covid-19 resultou em mais mortes que o esperado.


A conclusão é do homem responsável pela estratégia adotada no país, o epidemiologista sueco Anders Tegnell.

A Suécia tem uma taxa de mortalidade muito maior que a de seus vizinhos mais próximos. Seus cidadãos, hoje, estão proibidos de cruzar as fronteiras do país.

Na quarta-feira (03/6), Tegnell disse a uma rádio sueca que o país poderia ter feito mais do que foi feito desde o início da pandemia.

"Obviamente, existe um potencial de melhora no que fizemos."

Em 3 de junho, a Suécia registrava 4.542 mortes e 40.803 casos de covid-19 em uma população de dez milhões, segundo contagem da Universidade Johns Hopkins. 

Enquanto isso, em países como Dinamarca, Noruega e Finlândia, que impuseram bloqueios, os números de casos confirmados e mortes são bem menores. A Dinamarca registrava 580 mortes; a Noruega, 237; e a Finlândia, 321.

Como Tegnell mudou de opinião
A Suécia foi citada pelo presidente Jair Bolsonaro como modelo a ser seguido, por não impor isolamento duro contra o novo coronavírus e manter aberta boa parte do comércio.

O epidemiologista, que comandou a resposta da Suécia à covid-19, disse à BBC, em abril, que o alto número de mortes ocorreu principalmente pelo fato de as casas de acolhimento de idosos terem sido incapazes de conter a doença.

Tegnell, no entanto, enfatizou na época que não desqualificava "a estratégia como um todo".

Dois meses depois, o especialista tem outra opinião.

"Se encontrássemos a mesma doença de novo, sabendo o que sabemos sobre ela hoje, acho que ficaríamos satisfeitos em adotar um meio termo entre o que fez a Suécia e o que fez o resto do mundo", disse ele à rádio pública sueca.
Os suecos foram aconselhados a manter o distanciamento social, mas não houve um lockdown completo do país
Os suecos foram aconselhados a manter o distanciamento social, mas não houve um lockdown completo do país
Foto: AFP / BBC News Brasil
Quando perguntado se achava que muitas pessoas morreram em pouco tempo no país, Tegnell foi enfático.

Postar um comentário

0 Comentários