Novo lote do FGTS será liberado pela Caixa para 60 milhões; Confira como receber!


O Governo Federal confirmou que os saques emergenciais do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começam a partir do dia 15 de junho. Com a medida, trabalhadores poderão sacar até R$ 1.045, de contas ativas e inativas.

A previsão é de que a Caixa libere o calendário de pagamentos do FGTS nos próximos dias. Os valores ficarão disponíveis na conta do trabalhador para saques até o dia 31 de dezembro de 2020.


A medida tem o objetivo de diminuir os impactos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. Ação deve injetar cerca de R$ 36 bilhões na economia do país.
Segundo o texto da medida provisória, caberá à Caixa definir os critérios e o cronograma dos novos saques. De acordo com o banco, a dinâmica será a mesma das demais liberações do FGTS: saques de acordo com o mês de nascimento do trabalhador.

Como sacar o FGTS?

Segundo o Governo Federal, o saque poderá ser feito por meio das agências da Caixa, lotéricas e caixas eletrônicos. A fim de evitar aglomeração nesses locais, o banco permite que seja feita a transferência do dinheiro, via aplicativo do FGTS.
O app pode ser baixado gratuitamente nas lojas virtuais Google Play e Apple Store. Após a instalação, o trabalhador precisa realizar um cadastro na plataforma para ter acesso a todas as funcionalidades.

Garantia da nova liberação

A liberação dos novos saques do FGTS está sendo estudada pelo governo desde o dia 13 de março. O ministro da Economia, Paulo Guedes, havia falado sobre o tema e revelou a análise de soluções para amenizar o impacto financeiro dos trabalhadores.
“Temos R$ 22 bi do PIS/Pasep, o fundo que nós já chamamos várias vezes. Houve já duas ondas de resgates, primeiro para os proprietários, depois para herdeiros”, disse Guedes.
“Nossa ideia é fazer uma fusão com o FGTS, vamos fazer uma reserva desses recursos para, eventualmente, caso os herdeiros apareçam. Se os herdeiros apareçam, os direitos estão mantidos. Feita essa reserva, os R$ 20 bi de recursos que sobrarem será liberado”, acrescentou o ministro.

Fonte: Concursos Brasil

Postar um comentário

0 Comentários