Mesmo com isolamento social, Dia do Brincar surpreendente em Feira


Mesmo em tempo de isolamento social, a brincadeira continua sendo fator fundamental para o desenvolvimento integral do ser humano. Por isso, a quinta edição do Dia do Brincar em Feira de Santana, que transcorre nesta quinta-feira, 28, aborda a temática: “Fique em casa e brinque comigo”. De casa, as famílias estão promovendo a ludicidade e o ato de brincar com as crianças e fazendo registros nas redes sociais com a ‘hashtag’ #diadobrincaremfeiradesantana.

A proposta do tema deste ano é manter o envolvimento tradicional do Dia B, porém evitando aglomerações. Alunos, professores e gestores de escolas públicas e privadas e os membros das instituições parceiras participam brincando em seus ambientes. Cada um de sua casa, com suas respectivas famílias, e incentivando a participação dos diversos grupos.
Mais de 30 escolas municipais, estaduais e creches privadas aderiram ao movimento, além de outras instituições como a Brinquedoteca da Universidade Estadual de Feira de Santana, o Centro Evangélico de Acolhimento Cidade de Refúgio, a loja Mundo Lúdico, o Prelúdio Ballet, Cidade da Cultura, Reino da Poesia, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, InterEduc, Escola de Iniciação Esportiva, Centro Universitário de Cultura e Arte, Cuca, Vila das Artes, O Quintalzinho, Instituto Mentor, Joy Club e Hospital Estadual da Criança.
A Secretaria de Educação reuniu em suas redes sociais uma série de atividades como sugestões a serem realizadas com as crianças em casa; além disso, há também sugestões que há cerca de dois meses compõem o projeto “Em casa também se aprende”. A proposta é ajudar as famílias neste período com rotinas semanais. A iniciativa também se alinhou à proposta do Dia B.
A professora Elisa Carneiro, integrante da Divisão de Educação Infantil da Seduc, relata que a pandemia pelo novo coronavírus trouxe dúvidas sobre a possibilidade de realizar a movimentação do Dia do Brincar este ano, mas, surpreendentemente, a adesão se mostrou ainda maior.
“Conseguimos uma visibilidade e adesão ainda maiores nas redes sociais. Mais instituições aderiram ao movimento e promoveram maior diversidade de ações”, avalia Elisa.
A expectativa, diz, é que o movimento ultrapasse barreiras e alcance cada vez mais pessoas. “A ludicidade é o melhor remédio. Seja para uma criança, um jovem, um adulto ou um idoso brincante, ela é essencial para o crescimento e desenvolvimento humano. A proposta é brincar! Neste ano, brincar com quem está próximo, mesmo que seja em casa”.


Postar um comentário

0 Comentários