Carta colada em ônibus no complexo policial denuncia pontos de drogas em Feira de Santana


Acorda Cidade - "O comércio de drogas impera no bairro* em plena luz do dia, em qualquer lugar, demostrando a fragilidade da polícia no combate a ação de traficantes que aliciam crianças e adolescentes formando tropas de choque em defesa do crime. A inoperância do poder público favorece, e mais, a ramificação dos pontos de venda, expulsando famílias e amedrontando transeuntes".

O relato acima é o trecho de uma carta que foi colada na traseira de um ônibus abandonado na área do Complexo Policial Investigador Bandeira, no conjunto Jomafa, em Feira de Santana. Um pedido de socorro, indicando locais que seriam pontos de drogas na cidade.
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade
Ao tomar conhecimento da denúncia feita de forma inesperada, a delegada Klaudine Passos Silva, titular da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE), ordenou uma investigação com brevidade até o final desta semana, e apurar a veracidade das informações. Segundo ela, a Delegacia para o Adolescente Infrator (DAI) também será acionada, já que o cartaz também chama atenção para o aliciamento de menores.
“Nós tomamos conhecimento na data de hoje dessa denúncia que havia sido feita aqui em um ônibus apreendido a disposição da justiça. Temos que esclarecer que fala-se de um ato infracional e quando falamos de adolescentes, que são amparados pela lei 8.069 de 1990, precisamos também está oficiando a DAI para que tome as providências atinentes com relação a adolescentes. Mas quanto aos adultos, estaremos já diligenciando com maior brevidade possível para dar uma satisfação a sociedade a cerca dessa denúncia”, disse a delegada ao Acorda Cidade.
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade
Ainda de acordo com a delegada, pela riqueza de detalhes que existe na denúncia, a polícia precisa investigar e dá uma satisfação social. Segundo ela, a denúncia pode ter sido feita por uma pessoa que entende e que vê que a situação é grave.
“Iremos verificar se essa denúncia já foi apurada, porque toda denúncia que chega aqui na DTE é apurada e ela é encaminhada a relatório para o órgão competente de que a equipe foi até o local e que verificou a veracidade ou não. O que a gente consegue trazer em termos de relatório eu faço o pedido cautelar. Todos os dias estamos fazendo busca e apreensão, cumprimos ontem duas prisões em flagrante delito, acabamos de cumprir um agora, não foi exitosa, então estamos acionando o judiciário com as buscas para que a gente verifique as denúncias. Esse é mais um caso, vamos verificar e, uma vez que os policiais estiverem me trazendo o relatório de que há veracidade ou suposta veracidade no local, a gente vai tomar as medidas legais”, destacou.
A delegada Klaudine Passos disse também que já oficializou a Polícia Militar para que faça o trabalho ostensivo no local que a denúncia requer.
*Para não atrapalhar as investigações, os locais citados na carta foram ocultados.

Postar um comentário

0 Comentários