Infectologista diz que crescimento do número casos de coronavírus em Feira é lento


Acorda Cidade - Diante da pandemia do novo coronavírus, muitas têm sido as informações veiculadas diariamente sobre o assunto. Ainda assim, a população continua com muitas dúvidas. Para esclarecer alguns questionamentos enviados pelos ouvintes e leitores do Acorda Cidade sobre a atual situação do combate a doença no nosso município, ouvimos mais uma vez a médica infectologista Melissa Falcão, que é coordenadora do Comitê de Controle do Coronavírus de Feira de Santana.
Segundo ela, até o momento a cidade vem apresentando resultados positivos de enfrentamento a doença. A médica defende que se não tivesse acontecido o isolamento social, os números poderiam ser muito maiores dos que os registrados atualmente, especialmente em relação ao número de pacientes internados, gerando uma sobrecarga no sistema de saúde.
Foto: Secom
“Atualmente na cidade temos mais ou menos 85 casos positivos, com apenas dois pacientes internados e apenas um óbito nos dois meses, então estamos considerando os casos controlados no município. Estamos tendo um crescimento lento a cada semana e nosso sistema de saúde está dando conta de uma maneira eficiente desses casos. A gente espera que os resultados positivos de coronavírus permaneçam crescendo nas próximas semanas de maio, mas que seja de forma lenta, sem maiores problemas”, afirmou.
Abertura do comércio e impacto na proliferação
Com relação ao temor de algumas pessoas de aumento de casos de coronavírus em Feira de Santana devido a abertura da maioria das lojas do comércio, Melissa Falcão disse que o município vai avaliar as respostas. Segundo ela, daqui a, em média, duas semanas esses resultados aparecerão e com isso será feita uma reavaliado e visto a condição de continuar aberto, de voltar a fechar ou até mesmo de liberar algumas outras lojas e segmentos que continuam fechados.
Curva achatada
O Acorda Cidade também fez questionamentos ao prefeito Colbert Martins sobre a situação na cidade e se ele ainda mantém a declaração de que a curva da pandemia na cidade continua achatada.
“Continua sim. Dia 06 de março foi o primeiro caso registrado na Bahia e no interior do Nordeste inteiro, que foi o caso de Feira, e hoje depois de 54 dias, temos 85 casos, então temos uma média de nível reduzido o que já era esperado. Nesse momento ainda estamos com uma situação de certo controle, normalmente tem subido menos de 6,7% que é uma média razoável. Estamos um pouco abaixo da média de infectados, faltam ser examinados se não estou enganado cerca de 40 a 50 exames que é o estoque de um dia para o outro e na média tem dado 3, 4 eventualmente, mas estamos dentro dessa média que é de certa segurança”, afirmou o prefeito.

Tratamento da covid-19
A médica infectologista destaca que até o momento não tem nenhum medicamento que seja comprovadamente eficaz para o coronavírus, mas que tem alguns que estão sendo muito comentados. Ela afirma que eles têm efeitos colaterais e que ainda não há uma certeza do benefício. Nos casos leves, que são acompanhados em casa, o tratamento, de acordo com Melissa Falcão, é só para tratar os sintomas.
“Se o paciente tiver tosse, vai tratar tosse; se tiver febre, vai tratar febre. Os pacientes que precisam internar e que tem um quadro de falta de ar mais acentuado, algumas vezes, dependendo do médico que tiver acompanhando, pode ser usado algum protocolo de conduta que o serviço hospitalar adote, como por exemplo, a hidroxicloroquina”, informou.
De acordo com a médica, 80% das pessoas infectados por coronavírus terão quadro leve e não vão precisar de internação. Para essas pessoas, ela orienta repouso, bastante hidratação e manter o isolamento social para que não ocorra a transmissão para o círculo familiar e de amigos. Ela destaca que são 14 dias em isolamento em casa, com o uso de máscara também dentro do domicílio.
Números de coletas por dia
Diariamente em Feira de Santana, cerca de 20 coletas são feitas para a detecção do coronavírus, segundo informou a médica Melissa Falcão. Ela informou ao Acorda Cidade que atualmente cerca de 100 exames aguardam o resultado.
A médica ainda lamentou o município não ter testes suficientes para toda a população, mas conforme disse, todos os pacientes que têm um quadro de gravidade maior, o exame está sendo feito. Melissa lembrou ainda que as unidades laboratoriais privadas, em sua maioria, já tem teste de coronavírus disponível e muitos convênios estão cobrindo o resultado.
Teste de coronavírus em farmácias
Já com relação aos testes rápidos que foram autorizados pela Anvisa a serem realizados em farmácias, a coordenadora do Comitê de Controle do Coronavírus em Feira disse que quem fizer esse exame de farmácia e o resultado for positivo, terá que ter uma confirmação através de outros meios.
“Não recomendo que pessoas que não estão sentindo nada e que não tiveram nenhum quadro respiratório, que procurem um laboratório privado e nem uma farmácia para fazer esse exame, ele só é justificado em pessoas que tem realmente queixas respiratórias”, orientou a médica Melissa Falcão.
Disponibilidade de leitos de UTI
O Acorda Cidade também ouviu a secretária de saúde do município, Denise Mascarenhas, para saber como Feira de Santana está com a disponibilidade de leitos de UTI para pacientes com coronavírus em Feira. Ela lembra que hoje os dois pacientes internados em Feira estão com ventilação mecânica, sem uso de respiradores e nem de UTI.
“Temos 10 leitos do Hospital Geral Clériston Andrade e mais 40 que serão ampliados lá. Também estamos aguardando concluir a chamada pública para que possamos oferecer 50 leitos clínicos e mais 10 de UTI”, informou.
Uso de máscaras
Com relação a lei que obriga o uso de máscaras em locais públicos e empresas de Feira de Santana, a secretária Denise disse que a Vigilância Sanitária juntamente com o Cerest estão fazendo as visitas nas empresas e educando as pessoas para a utilização do item de proteção. Segundo ela, até o momento as equipes têm encontrado todos fazendo a utilização das máscaras.

Postar um comentário

0 Comentários