Dia Mundial da Água: Ocupações irregulares e desmatamento comprometem nascentes e rios, diz técnico do Meio Ambiente


Às vésperas do Dia Mundial da Água (22 de março), a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semmam), chama a atenção para três problemas globais que afetam esse imprescindível recurso hídrico: escassez, contaminação e poluição. Fatores que estão relacionados com a ação humana e às mudanças climáticas, como afirma o chefe do Departamento de Educação Ambiental, João Dias.

“O desmatamento, sobretudo na zona rural, tem provocado ao longo dos últimos 15 anos a diminuição da pluviosidade que, consequentemente, fez com que muitos riachos perenes secassem, afetando o fluxo normal dos rios”, afirma.
De acordo com João Dias, os distritos Governador João Durval Carneiro (antigo Ipuaçu) e Bonfim de Feira são uma das localidades da zona rural afetadas pelo desmatamento.
“Os riachos do Mocó e Cungú, em Ipuaçu, e o riacho Munguzá, em Bonfim de Feira, por exemplo, são alguns daqueles que secaram. Eram riachos perenes, onde era possível pescar o ano inteiro”, lamenta observando, ainda, que somado ao desmatamento, as mudanças climáticas tem contribuído para a diminuição do fluxo dos rios.
Outra questão que preocupa os técnicos da Semmam é a ocupação irregular. “Isto resultou na morte de lagoas e nascentes, no município. Existe em Feira uma prática de drenar as nascentes que não condiz com o que consta na legislação federal - lei 12.651/02. Essa prática contribui para a redução da água potável no planeta”, diz.
O chefe do Departamento de Educação Ambiental acrescenta que, através de levantamento elaborado pelo órgão municipal, foi identificado que das 120 lagoas existentes em Feira de Santana só existem 60, que também estão ameaçadas. “No município existiam a Lagoa da Pedreira, na Pedra do Descanso, a Lagoa do Fato, na Chácara São Cosme, bem como a Lagoa do Tingole, na avenida Sérgio Carneiro, bairro Santo Antônio dos Prazeres, que desapareceram por causa das ocupações irregulares”, cita.
AÇÕES EDUCATIVAS
Para chamar a atenção e sensibilizar a comunidade feirense, o Departamento de Educação Ambiental, da Semmam, tem desenvolvido trabalhos educativos em instituições de ensino. Neste sentido, promove palestras, realiza rodas de conversas, seminários e distribui publicações educativas. Outro material é a produção do vídeo documentário sobre o Rio Jacuípe, que passará a ser exibido após seu lançamento previsto para o dia 19/03, no Planetário do Parque do Saber, às 19h.
“A preocupação nossa, de cientistas e pesquisadores é por que já existem no planeta seis milhões de desabrigados, os chamados refugiados do clima. Onde eles vivem já não tem mais água potável”, informa.
PROGRAMAÇÃO DA SEMANA DA ÁGUA
A programação alusiva ao Dia Mundial da Água (22 de março), em Feira de Santana, começa na terça-feira, 17, e segue até o sábado, 21. As atividades serão desenvolvidas por meio de parceria entre a Prefeitura, através do Departamento de Educação Ambiental da Semmam (Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Naturais), e a Embasa. As informações são do diretor da Semmam, Hiram Lima.
No primeiro dia, 17, a programação consta de bate papo sobre o Rio Subaé, na Escola Municipal Monsenhor Jessé Torres, no Aviário, a partir das 8h.  Ainda na terça-feira, à tarde, o mesmo tema será debatido na Escola Josenita Nery Boaventura, no Aviário.
A programação terá continuidade na quarta-feira, 18, com soltura de peixes na Terra Dura, pela manhã; e em Morrinhos, distrito de Jaguara, à tarde. No dia 19 (quinta-feira) haverá uma blitz educativa em frente à Prefeitura Municipal, a partir das 8h; e às 14h, uma roda de conversa sobre o uso consciente da água, na Escola Ernestina Carneiro, no bairro Rua Nova.
Na sexta-feira, 20, haverá plantio de árvores na nascente da Balança, no Parque Getúlio Vargas, e no sábado, 21, véspera do Dia Mundial da Água, a comemoração será marcada por uma exposição no Parque da Lagoa Erivaldo Cerqueira, às margens da avenida José Falcão.

Postar um comentário

0 Comentários