Conselho de Sentença condenou mais de 60 réus em 2019 em Feira de Santana


O Tribunal do Júri da Comarca de Feira de Santana, sob a presidência da Juíza Márcia Simões Costa, no ano de 2019 realizou 74 júris sendo que 69 réus foram condenados e cinco absolvidos. O número foi superior a 2018, quando 51 júris foram realizados.

Neste ano a juíza começa os júris no dia 23 de janeiro, quando sentará na cadeira dos réus Gladson Bezerra de Lima, acusado de ter matado no dia 8 de junho 2015 o colunista social Cristin Antônio de Almeida, que era conhecido como Christy Helmayd. Até março, 13 julgamentos já estão na pauta.
A juíza Márcia Simões Costa faz um balanço dos trabalhos realizados. “A gente conseguiu se superar no ano de 2019, fazendo mais julgamentos do que no ano de 2018, com um índice considerado de aumento, o que vejo de forma muito positiva, graças a um trabalho conjunto do cartório e em parceria com o Ministério Público, Defensoria Pública e os advogados”, disse.
Para 2020 a juíza disse que espera superar os números de 2019. “Contamos com dois defensores públicos que atuam na vara e dois promotores de justiça. A tendência desse ano é superar os números do ano passado, até por que os números de condenações não dependem necessariamente de um perfil dos jurados. Infelizmente, as matérias que são apreciada pelos jurados são muito sensíveis, envolve a vida, a perda da vida ou quase perda da vida. Então isso mostra que a sociedade de Feira de Santana não suporta e não é conivente com as pessoas que cometeram crimes contra a vida. Os jurados são pessoas da sociedade e o que mostra é um perfil que não aceita a criminalidade”, afirmou.
A juíza Márcia Simões Costa afirmou acreditar que mais de 80 júris sejam realizados em 2020. Mas lembrou que o grande número de feriados podem atrapalhar. “Vai depender do nosso calendário, pois no mês de abril de 2020 será bastante prejudicado, onde teremos diversos feriados como Semana Santa, Micareta e Tiradentes, então o mês fica um pouco comprometido. Temos diversos feriados longos durante o ano inteiro e isso pode atrapalhar um pouco, mas não acredito que não vá atrapalhar a ponto de ter um número menor do que tivemos em 2019”, analisou.
Fonte: Acorda Cidade

Postar um comentário

0 Comentários