Casos confirmados para HTLV aumentam em 94 por cento


Em Feira de Santana, de janeiro a setembro deste ano, 105 casos de HTLV foram notificados, destes, 97 confirmados e 8 descartados. Em 2018, de janeiro a dezembro, foram 61 notificações, destes, 50 confirmados e 11 descartados, o que representa um aumento de 94%. O HTLV é uma infecção sexualmente transmissível que é silenciosa, assintomática, não tem cura e é pouco conhecida.

Na quarta-feira profissionais do Ambulatório Municipal de Infectologia encaminharam diversas pessoas para participar da ação de conscientização e diagnóstico do HTLV. A iniciativa da Prefeitura de Feira de Santana, através da Vigilância Epidemiológica, teve o objetivo de oferecer orientações e esclarecimentos sobre esta doença.
"Digamos que o HTLV é um 'primo' do HIV, já que ambos atacam os linfócitos de defesa do organismo. A única diferença é que o HTLV não tem tratamento, o paciente uma vez diagnosticado, a depender do seu organismo, se desenvolver as sequelas dessa doença, pode vir a ter dores em membros inferiores, fraquezas, dormências e formigamento dos membros. Pode evoluir até com paralisia dos membros, levando inclusive a tetraplegia, dificuldade de defecar e urinar. Há um grande comprometimento motor”, explica a enfermeira supervisora da Vigilância Epidemiológica, Neuza Santos.
O pastor Juan Monteiro aproveitou a oportunidade para realizar a sorologia do HTLV. “Fui abordado na rua e me interessei em fazer o exame, vejo que é uma ação muito importante para as pessoas que não tem conhecimento sobre a doença”, avalia. 
Orientações e sorologia para HTLV, testes rápidos para HIV, sífilis e distribuição de preservativos foram os serviços ofertados durante a ação. Na avaliação da enfermeira referência técnica em HTLV, Iracilda Araújo, a pessoa portadora da infecção é assintomática, geralmente havendo a suspeita durante a triagem de pré-natal e doação de sangue.
“Boa parte dos casos notificados são encaminhados depois de realizar essa triagem. O crescimento dos casos representa que a vigilância é ativa e está ampliando o diagnóstico, mas existem ainda muitos estão contaminados, contaminando, e não sabem”, avalia a enfermeira.
O prefeito Colbert Martins Filho, médico por formação, explica que a transmissão do HTLV ocorre por meio da mãe infectada para o recém-nascido, durante o parto ou aleitamento materno, relação sexual desprotegida com uma pessoa infectada e compartilhamento de materiais perfurocortantes contaminados.
"Para prevenir é necessário realizar o acompanhamento de pré-natal em gestantes, utilizar preservativo durante toda a relação sexual e não compartilhar objetos pessoais perfurocortantes, como alicate, seringas, agulhas e entre outros. A amamentação por mulheres infectadas é contraindicada", explica Colbert.
Dos infectados pelo HTLV, apenas 2% apresentarão algumas doenças associadas a esse vírus, entre as quais se podem citar: doenças neurológicas, oftalmológicas, dermatológicas, urológicas e hematológicas (ex.: leucemia/linfoma associada ao HTLV).
Qualquer pessoa que tiver interesse em realizar a sorologia pode procurar a unidade de saúde mais próxima da residência ou comparecer no Ambulatório Municipal de Infectologia. A sorologia é um exame realizado através da amostra de sangue, que pode diagnosticar o HTLV, e o resultado fica pronto em uma média de 30 dias.

Postar um comentário

0 Comentários