economia

Consumidor deve ficar atendo às ofertas da Black Friday


Segundo melhor período do calendário de vendas, perde apenas para o Natal,  nem tudo que é exposto nas lojas tem preço promocional na Black Friday. O Procon recomenda evitar o impulso, pesquisar preços e pechinchar antes de levar para casa aquele televisor desejado durante anos.

A propaganda diz que é dia de pagar barato. Mas é bom que o consumidor se previna contra fraudes. ‘Tudo pela metade do dobro’ é uma das máximas do período – as lojas aumentam os preços das suas mercadorias ao longos dos últimos meses e na Black Friday anunciam o generoso desconto.
A liquidação, criada nos Estados Unidos, acontece anualmente na última sexta-feira de novembro.
Daí a necessidade da pesquisa, comparação de preços. E evitar as compras por impulso e saber driblar as promoções enganosas. Nem todos os produtos das vitrines de uma loja são vendidos com preços promocionais. Todo cuidado é pouco para não cair na pegadinha do preço baixo.
Para quem deseja fazer compras nestes dias – geralmente as lojas estendem o período promocional, que passa a ser uma ‘black week’, o ideal é que guardem os folhetos onde as lojas anunciam seus preços, meses antes da anunciada sexta-feira gorda. Isto para as lojas físicas.
Para quem opta pela internet, uma das formas de evitar os preços promocionais de araque é acessar alguns sites especializados que fazem a comparação de preços – os atuais e os anunciados anteriormente, como o black friday de verdade, Bondfaro, Buscape, jaCotei e Zoom.

SOBRE Santiago Live

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.