feira de santana

Feira em História: A cidade em setembro de 1959


Vamos viajar no tempo para um encontro com a cidade há seis décadas, tendo como referência a edição do jornal Gazeta do Povo que circulou no segundo domingo de setembro de 1959, dia 13. (Adilson Simas)

No domingo anterior grande público compareceu ao estádio municipal quando foi realizado o Torneio Inicio da Liga Feirense de Futebol. 
Entre as autoridades o secretário da Prefeitura, Joselito Amorim, representado o prefeito, o vereador Waldir Pitombo que também atuou como médico de plantão da Liga e o coronel João Campos de Aragão, comandante do Batalhão da Policia, cuja banda executou o Hino Nacional.
Todos os seis clubes filiados a Liga – Ipiranga, Botafogo, Mecânico, Vasco, Bahia e Flamengo participaram do torneio. O Bahia foi o vencedor ao  aplicar 4 a 0 no  Ipiranga na partida final. O “bicho papão”, como era conhecido o Bahia, também foi o campeão do desfile que marcou a abertura da tarde esportiva.
Para os saudosistas lembramos a escalação dos dois clubes da decisão: Bahia – Carlito, Raimundo I e Ivan; Raimundo II, Renato e Toninho; Zezé, Lolô, Pereira, Djalma e Coruja: Ipiranga – Geraldo, Zizinho e Careca; Liminha, Caboquinho e Dão; Letinha, Edvaldo, Bondinho, Jaime e Galo. 
Aconteceu a posse da nova diretoria da Sociedade Montepio dos Artistas Feirenses, tendo na presidência José Gomes da Costa. Vale lembrar que José Gomes foi um dos fundadores da Associação Comercial e dono da Sapataria Costa que funcionou durante muitos anos na Praça da Bandeira.
Também na nova diretoria, no cargo de 1º secretário, Antonio Carlos Borges dos Santos, pai do atual secretário municipal. Vale frisar que depois de se aposentar como bancário do antigo Banco da Bahia, na Praça da Bandeira, Antonio Carlos se estabeleceu como comerciante na Rua Sales Barbosa. Em 1988, foi candidato a vereador pelo PTB mas sem sucesso.
Anunciada a comissão para coordenar “Os Jogos da Primavera”, evento realizado todos os anos reunindo alunos da Escola Normal e Ginásio Estadual. Presidida pelo ten. Arlindo Barbosa da Silva, a comissão foi integrada pelas professoras Mary Prats, Hadla Sméra e Célia Bacelar, mais o estudante secundarista Helder Alencar.
O doutor João de Almeida Bulhões, Juiz de Direito da Vara de Menores, assinou a Portaria nº 17, proibindo o ingresso de escolares durante o período de aulas, quer diurno ou noturno, trajados com o uniforme do estabelecimento de ensino, em cinemas, teatros, circos, auditórios, campo de futebol, clubes, bares, bilhares e quaisquer outras diversões públicas.
Pela mesma portaria o juiz informou que a fiscalização ficará a cargo dos senhores Miguel Barreto da Silva, José Conceição Santos, Laureano Barbosa da Silva, Cristovam Ribeiro Costa e Sizinio Alves Amorim. Vale frisar que Cristovam e Sizinio pertenciam aos quadros da prefeitura, como guardas municipais. 
A crônica social registrou  que “regressou a esta cidade.após alguns dias na Capital da Republica, o sr. Oscar Marques, alto comerciante que representa em Feira os afamados produtos da Brahma, vereador e integrante do PSD. Registrou também o regresso de Agostinho Fróes da Motta, filho do Eduardo Fróes da Motta, que se encontrava a Capital da Republica.
O jornal recebeu e registrou a visita de moradores do Campo Limpo que foram protestar contra a decisão da Prefeitura em autorizar a colocação de todo o lixo coletado na cidade em terreno de propriedade do senhor Filinto Marques, existente no bairro. Alegaram que estavam sendo incomodados por moscas e mosquitos.
No domingo, 13 de setembro, um grave acidente com o radialista Raimundo Oliveira, que levado às pressas para o Hospital Dom Pedro de Alcântara faleceria na sexta-feira. A morte de Raimundo Oliveira abalou a cidade e o seu sepultamento, depois do corpo ser velado no auditório da Rádio Cultura, está incluído entre os que atraíram grande  numero de pessoas.
Raimundo Oliveira, irmão dos também radialistas Aristides Oliveira e Dourival Oliveira este já falecido, foi o maior animador de auditório do rádio em Feira de Santana e o seu programa “O ouvinte é quem manda” dominava as noites feirenses. Além de atuar no rádio, era funcionário do DNER. 
Quem  também faleceu em setembro de 1959, foi João Martins Mamona, o João Mamona que quando da sua passagem pela Câmara Municipal apresentou projeto dando a biblioteca do legislativo feirense o nome do poeta Francisco Sales Barbosa.

SOBRE Santiago Live

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.