temas jurídicos

Escritório engessado? Estagnado? Experimente isto...

Imagem: Googleimagem

Quer manter-se nas sombras e brilhar? Não tem como, meu amigo! Aparecer é preciso! Sobreviver é preciso! Escrever é preciso! Estamos em meados do ano, e o que você já fez em prol da melhoria da sua banca e marca, hein?

Quem está inserido no admirável mundo da internet, sabe que estar conectado é preciso. Não dá mais para ficar exibindo o 'jus sperniandi' (fazendo birra, esperneando), puxando a saia da mamãe e dizendo: - Eu não queroooo!
O mundo virtual está aí, meu caro.
Se me permite; responda para si mesmo neste instante:
- Estamos em meados do ano, e o que você já fez em prol da melhoria da sua banca e marca, hein?
O mundo é digital, o banco é digital, as redes sociais estão bem aí debaixo do nosso nariz, e, até uma postagem, aparentemente sem nenhum cunho de virar ‘febre’, como, por exemplo, o caso do cão Chico, que destruiu o quarto da tutora quando esta estava ausente, nos faz repensar condutas e estilos de vida em meio a, agora, indispensável, tecnologia da internet.
O causo
No mês passado estive em uma audiência na seara trabalhista. Geralmente costumo chegar mais cedo, adentrar à sala de audiências e assistir algumas sessões antes da minha. Assim, conheço o perfil do Magistrado ou Magistrada que irá presidir o feito e aprendo um pouco mais.
Pois bem.
Ao assistir audiências anteriores à que eu iria atuar na defesa de um cliente, dei de cara com dois maravilhosos e competentes Advogados pernambucanos.
Ao encerrar a audiência deles, a minha foi a seguinte, e tudo ocorreu muito rápido, dando tempo de encontrar os talentosos causídicos ainda nos corredores do Fórum.
Ali, parabenizei-os pela excelente performance em sala de audiência e aproveitei para dizer que aprimorei bastante os meus conhecimentos com eles, que, na maior simplicidade, rejeitaram um acordo de R$ 100 mil reais. Pedi que me explicassem o porquê de tal recusa, e deram-me um show de aula e dicas jamais vistas na academia.
Ao me apresentar e trocar cartões de visitas, fui reconhecida como a Fátima Burégio, do Jusbrasil. Sim, eles me conheciam de nome, marca e artigos publicados por aqui; fizeram um monte de perguntas e algumas delas me deixaram bem espantada e surpresa.
Pensei comigo mesma:
- Meu Cristo, se eles não sabem disto, imagino que mais um punhado de leitores que recebem diariamente a Newslatter do Jusbrasil em seus e-mails, também não tenham conhecimento.
Você quer saber algumas das perguntas feitas?
- Oh, Dra Fátima, quanto a senhora paga para publicar seus textos no Jusbrasil?
Qualquer pessoa pode escrever para o Jusbrasil ou a gente tem que passar por uma seleção?
- A gente pode contar alguns casos de sucesso da nossa banca; obviamente sem fazer propaganda do nosso nome?
Como a gente faz para estar na plataforma PRO do Jusbrasil tendo acesso aos casos jurídicos?
Após responder a todas as questões, dizendo que não se paga nada para publicar no portal, os textos podem ser publicados naturalmente, sendo os mais lidos, selecionados pela Comunidade e leitores Jusbrasil, que, criteriosos, analisam qualidade do texto, gramática, conhecimento jurídico, cliques e curtidas. Falei do trabalho dos Moderadores, e da tarefa quase hercúlea de 'filtrar' milhares de textos, reportando quem abusa do democrático espaço. Falei ainda, que qualquer Advogado pode publicar um artigo ou relatar um caso de sucesso no espaço, desde que o faça sem ostentação ou autopromoção, observando as regras de publicação da plataforma e o Código de Ética da profissão.
Não perdi a oportunidade, e convidei-os, imediatamente, para que escrevessem um artigo jurídico, postassem e depois me contassem a experiência.
Informei, como funciona a plataforma PRO, contei da minha experiência pessoal e finalizei concedendo algumas dicas de futuros textos, bem como orientando acerca de temas que considero relevantes, além de conceder dicas para a criação do perfil que integrará a banca deles na plataforma Jusbrasil.
Os ovos da pata
De volta para o escritório, segui pensativa, mas alegre em poder dizer aos colegas veteranos de guerra:
- Amigos, você são competentíssimos, têm mais de vinte anos de carreira, mas pecaram grandemente, ao não criarem um site, um blog, não escrevem para a maior plataforma de conteúdo jurídico do mundo; vocês são, como eu sempre digo, os ovos da pata...
Disse que a galinha põe ovos pequenos, mas grita, badala; enquanto que a pata põe ovos enormes e mais nutritivos, mas fica calada. Os ovos da pata não geram renda e nem receita, enquanto que os da galinha... Pelo menos, na minha dieta, por recomendação médica, tenho que comer com regularidade.
Experimente. Evite o extermínio
Bill Gates disse que no reino dos sites, o conteúdo é o rei.
Não é uma profecia do caos, mas ouso complementar:
- Amigo, na Advocacia, conteúdo jurídico de qualidade, também é o rei; a internet não perdoa quem não mostra a cara, e, por mais competente e eficiente que você seja, se estiver fora da vitrine; mais cedo ou mais tarde, o mercado irá exterminar a sua carreira, e você será, literalmente, engolido.
Desta feita, nada custa, sentar alguns minutos e produzir um conteúdo de qualidade para uma plataforma respeitada, séria e que se importa em reverter tais ‘créditos’ apenas para a sua marca e nome.
Está esperando o quê para iniciar a sua escrita na área da sua competência e ver sua carreira deslanchar?
Experimente!

SOBRE Santiago Live

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.