feira de santana

Diretor da Adufs compara Rui Costa com ditador da China ao saber que nome de reitor da Uefs não foi homologado


Reeleito reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) com 60% dos votos, o professor Evandro Nascimento está com a permanência no cargo ameaçada. Nota divulgada pelo A Tarde nesta quinta-feira (16) informa que ao receber os documentos para homologar o nome do reitor, o governador Rui Costa devolveu a papelada com o lembrete: “Cumpra-se a lei”. E a lei prevê o envio de uma lista tríplice para que o gestor do estado escolha um dos concorrentes.

A mesma nota dá conta que a iniciativa do governador é reação a declarações do professor Evandro, que disse em entrevista à Folha de São Paulo que Rui Costa está fazendo com as universidades estaduais o mesmo que Bolsonaro com as federais: cortando verbas.
Ao tomar conhecimento dos fatos, professores da Uefs que estão em greve resolveram ocupar a reitoria, que está sem reitor, em protesto contra a decisão. O governador Rui Costa chega hoje do exterior e o mandato de Evandro expira amanhã.
Ao Acorda Cidade, o diretor da Associação dos Docentes da Universidade Estadual de Feira de Santana (Adufs), André Uzêda, criticou a postura de Rui e o comparou com Xi Jinping, o ditador da China. “A ideia é permanecer (na reitoria) para mostrar ao governador que ele não pode tratar as universidades dessa forma. Parece o ditador da China, ele que comanda com mãos de ferro”, frisou.
Embora não acredite que o governador vá de fato negar o resultado da eleição e escolher outro nome para substituir o de Evandro Nascimento, Uzêda considera o pedido da lista como “demonstração clara de força, em um ato autoritário”. “Não acho que o governador vai fazer uma loucura dessas, porque o mundo vai desabar e a universidade não vai aceitar. Todo o campo democrático vai reagir a isso. Não é isso que eu tenho medo, mas de qualquer forma é uma demonstração desnecessária de força”, criticou.
Uzêda reconhece que a lei prevê a escolha de nome através de lista tríplice, mas ressalta que nas últimas eleições foram enviados para o governador apenas o nome do candidato mais votado na eleição e para ele não faz sentido pedir a lista em cima do prazo de expiração do mandato de Evandro. “O governador recebeu isso há muito tempo, a eleição foi no início de abril, mas só agora próximo da posse é que o governador envia algo para criar obstáculo?”, questionou.
Uzêda questionou ainda se Rui Costa vai passar os próximos quatro anos impondo o silêncio à administração superior. “Quer dizer que além de não receber os recursos não pode nem reclamar, não pode nem questionar o governo? A gente tem que estar aqui para dar força, porque somos defensores do Estatuto do Magistério do Ensino Superior, da democracia, da eleição para reitor. A Uefs é uma altarquia, temos autonomia didática, financeira e de gestão”, arrematou.
O acorda Cidade tentou contato com o reitor Evandro Nascimento, mas não conseguiu. 
Fonte: Acorda Cidade

SOBRE Santiago Live

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.