política

Doria critica guru de Bolsonaro e diz que é erro comemorar golpe militar


A edição de hoje da Folha traz uma entrevista que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), concedeu a Mônica Bergamo. Na conversa, ele diz que tem "bom diálogo" com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), mas criticou iniciativas como a comemoração do golpe de 1964: "Não se pode apagar o passado".
 

Doria também defendeu o vice-presidente, Hamilton Mourão, dos ataques de Olavo de Carvalho, guru do presidente: "alguém que nem sequer vive no Brasil e cuja opinião, para mim, não tem valor".
 

Outro assunto do dia é a participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, em audiência pública na CCJ da Câmara para esclarecer aos deputados pontos da reforma da Previdência proposta pelo governo. Matéria do UOL mostra que Guedes conversou com mais de 50 deputados durante a preparação para o encontro, depois de ter faltado na semana passada. A Comissão de Constituição e Justiça é a primeira etapa da tramitação da proposta no Congresso.
 

Essas conversas e a própria audiência marcam a estreia de Guedes na articulação política direta para aprovação da proposta. Nesse primeiro desafio, ele vai encarar a desconfiança de deputados com o governo e seus esclarecimentos deverão embasar o posicionamento dos deputados.
 

Os partidos ainda não se posicionaram oficialmente sobre a reforma, mas as bancadas já dão sinais de como votarão sobre o tema. Somente o PSL, do presidente Jair Bolsonaro, e o Novo são formalmente favoráveis à reforma. Outros 13 partidos defendem a proposta informalmente, mas são contra mudanças na aposentadoria rural e no BPC (Benefício de Prestação Continuada).

Fonte: ResumododiaUOL

SOBRE Santiago Live

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.