temas jurídicos

7 livros que mudaram minha forma de pensar como advogado


Você se lembra de quando começou a ler?
Eu era uma criança um pouco introvertida, daquelas quietas, com poucas amizades e que sentava nas primeiras cadeiras da sala de aula. Aprendi a ler bem rápido e, sempre que andava de carro com a minha família, debruçava-me no vidro e tentava ler as placas de sinalização, os outdoors e as fachadas das lojas da cidade. Ou seja, o que dava. Embora minha mãe sempre tivesse que fazer algumas correções, eu conseguia juntar as letras, pronunciar e entender a mensagem.

Foi aí que percebi que eu sabia ler.
Não sei quanto a você, mas quando percebi isso, sabia que tinha aprendido algo fantástico e importante. Eu via como a professora se dedicava dia a dia pra ensinar todo mundo – um por um, às vezes –, que o b junto com o a formava o “ba”.
De lá para cá li muita coisa, desde as histórias de Asterix e Obelix, quando chegava sempre uma hora mais cedo na escola para ficar na biblioteca, até livros de autoajuda.
Eu acho que os livros são uma fonte incrível de conhecimento, e as experiências compartilhadas são capazes de mudar a nossa forma de pensar, se você estiver aberto pra isso, é claro.
Já conversei com pessoas que saíram sozinhas de um quadro de depressão lendo os livros do Augusto Cury, outras que abriram seu próprio negócio depois de ler um livro do Erico Rocha, ou mesmo aquelas que aprenderam sobre riqueza depois de ler Napoleon Hill. Recentemente, vi até pessoas que se intitulam “terraplanistas”, tendo como uma das bases do movimento o livro de George Orwell, 1984.
Enfim...
O fato é que o estilo de vida que tenho hoje, desde quando saí de um escritório convencional para advogar sozinho em home office e começar a escrever - morando num sítio - eu me inspirei lendo, descobri lendo, aprendi lendo ou encontrei lendo alguma coisa.
Pensando em ajudar você a encontrar algo interessante para ler também, fiz essa lista de livros.
Boa leitura!

Walden - Henry David Thoreau

Vou começar por esse livro porque é o meu livro de cabeceira. Faz parte da decoração do meu criado-mudo.
Para ser sincero, nunca me identifiquei tanto com um livro. Suas frases e reflexões ficavam transitando de forma contínua em minha mente.
Em 1845, Henry David Thoreau deixou a cidade e foi para a mata, a fim de viver deliberadamente e enfrentar apenas os fatos essenciais da vida – sem luxos e em contato intenso com a natureza. Ao contrário do que eu pensava, de que seria a história de um ermitão que ficou filosofando no meio do mato, Thoreau quis provar que uma vida simples é viável e que o menos, na verdade, é mais.
Falou sobre livros e sobre o poder da literatura clássica, bem como sobre o emburrecimento das pessoas por causa da simplificação dos textos e da ausência de indagações.
Simplicidade, simplicidade, simplicidade! Tenha dois ou três afazeres e não cem ou mil; em vez de um milhão, conte meia dúzia... No meio desse mar agitado da vida civilizada há tantas nuvens, tempestades, areias movediças e mil e um itens a considerar, que o ser humano tem que se orientar - se ele não afundar e definitivamente acabar não fazendo sua parte - por uma técnica simples de previsão, além de ser um grande calculista para ter sucesso. Simplifique, simplifique. Henry David Thoreau

Trabalhe quatro horas por semana - Tim Ferris

O título pode te deixar cético, mas este livro não é uma receita mágica que vai te ensinar a trabalhar apenas quatro horas por semana – até porque eu também sou cético quanto a isso.
Com Tim Ferris eu aprendi que ser rico não é ter uma conta bancária de seis dígitos ou um carro importado na garagem, mas ter tempo e mobilidade. Segundo ele, esses são os “Novos Ricos”, ou seja, pessoas que não esperam a aposentadoria - quando consideram que então terão tempo - para viverem suas vidas.
Para ter mais tempo e mobilidade, Tim Ferris sugere que você elimine clientes e projetos menos lucrativos, terceirize as operações menos importantes e, com o tempo de sobra, crie – ou dedique-se – a trabalhos significativos e que vão te trazer outras rendas (isso mesmo, no plural).
Utilizando isto como nossos critérios, o investidor que trabalha 80 horas por semana e ganha meio milhão de dólares por ano é “menos poderoso"do que o NR que trabalha um quarto desse tempo e ganha quarenta mil dólares por ano, mas possui uma liberdade completa de escolher quando, onde e como viver. O meio milhão pode valer menos do que os 40 mil, e vice-versa, quando descartamos os números e passamos a enxergar o padrão de vida derivado do dinheiro. Tim Ferris

A arte de fazer acontecer - David Allen

David Allen me ensinou que a ansiedade, na maioria das vezes, é provocada pela falta de organização e controle das nossas próprias atividades.
Aquela ideia de que você não tem tempo para dar conta de tudo o que precisa fazer é desculpa. Você não tem é organização ou gasta tempo demais com coisas desnecessárias e que não são prioridade.
Depois que aprendi a organizar meu tempo, me sinto menos ansioso, com as coisas mais claras na mente e, de quebra, estou conseguindo tirar alguns projetos do papel.
É possível uma pessoa ter um número impressionante de coisas para fazer e ainda assim atuar de forma produtiva, com o pensamento claro e uma sensação positiva de sereno controle. É um jeito excelente de viver e trabalhar (...). David Allen

Como fazer amigos e influenciar pessoas - Dale Carnegie

Fique tranquilo, esse livro não é sobre técnicas de manipulação.
Dale Carnegie nos mostra que as pessoas têm muito interesse em desenvolver suas habilidades nas relações humanas. Afinal, seja para fazer novas amizades e, principalmente, fechar novos negócios, as pessoas querem falar bem e serem bem relacionadas.
Eu achei interessante ler esse livro porque acredito que a empatia e a capacidade de ganhar relevância são valores fundamentais no século XXI, onde há abundância de informações e conexões, e todo mundo busca o seu espaço.
No auge de sua atividade, John D. Rockfeller declarou que ‘a habilidade para lidar com as pessoas é um produto pelo qual se paga como pelo açúcar ou café. E eu pagarei mais por essa habilidade do que por outra qualquer debaixo do sol'. Dale Carnegie

Grande Magia - Elizabeth Gilbert

Eu nunca me conformei com essa ideia limitada de que a vida se resume em estudar, fazer uma faculdade, trabalhar, casar, trabalhar e esperar a aposentadoria. Sempre imaginei uma vida mais dinâmica, com mais diversidade, aventuras e coisas interessantes para fazer.
Em Grande Magia, Elizabeth Gilbert ensina como viver uma vida mais motivada pela curiosidade do que pelo medo, seja embarcando num novo trabalho – ou encontrando novas formas de lidar com o seu –, um sonho adiado ou um cotidiano com mais paixão e sentido.
Foi depois de ler esse livro que ressuscitei alguns sonhos esquecidos.
Se você quiser, pode ouvir uma música minha clicando aqui.
Você nunca conseguirá criar nada de interessante na vida se não acreditar que merece ao menos tentar. Elizabeth Gilbert

Como evitar preocupações e começar a viver – Dale Carnegie

E se eu perder esse prazo? E se eu perder esse cliente? E se eu não conseguir?
Essas são algumas preocupações que tiram o sono e a tranquilidade de muita gente – apesar de 90% das coisas sobre as quais nos preocupamos nunca acontecerem de fato.
Por isso, em vez de ficar preocupado e inquieto, Dale Carnegie sugere que você imagine o pior cenário se aquela situação que você se preocupa realmente acontecesse. Imaginou? Ok. Agora aceite o resultado e procure dedicar calmamente o seu tempo e energia ao esforço de solucionar as piores possibilidades que você já aceitou.
Você vai perceber que ficar preocupado retira de nós o poder de resolução, mas, quando aceitamos na nossa mente o resultado, eliminamos aquelas ideias vagas e conseguimos enxergar melhor as soluções. E sempre há soluções.
Isole o passado, os dias mortos de ontem. Isole o futuro, os amanhãs que ainda não nasceram. O que importa é o hoje concentre sua energia só no hoje. Ao dia já basta os seus próprios problemas. Empregue o seu tempo planejando, trabalhando e não se preocupando com o ontem e o amanhã. Dale Carnegie

Roube como um artista – Austin Kleon

Este é um livro sobre criatividade também. Austin Kleon mostra com simplicidade que não é preciso ser um gênio para ser criativo, muito menos que criatividade é coisa de programadores, designers, publicitários, atores e músicos. Todos somos criativos e podemos desenvolver nossa arte de criar.
Com a leitura aprendi que nada é original, ou seja, tudo já foi criado anteriormente e apenas influencia novas criações. Por isso, para se tornar mais criativo, temos que colecionar boas ideias, seja de influenciadores que seguimos, mentores, livros, etc. É possível “roubar” esses trabalhos e utilizá-los para criar algo único e novo com o nosso feeling. Simples assim.
Num determinado momento, Austin fala que “criatividade é a arte de resolver problemas”, e eu nem preciso dizer porque achei esse livro interessante. Afinal, uma das características dos advogados desse tempo é a capacidade de resolver problemas de forma mais criativa, rápida e barata.
Desenhe a arte que você quer ver, comece o negócio que você quer gerir, toque a música que quer ouvir, escreva os livros que quer ler, crie os produtos que quer usar – faça o trabalho que você quer ver pronto. Austin Kleon
*****
E aí, gostou das dicas de livros? Você tem algum que leu e mudou sua forma de pensar também? Conta pra mim aí nos comentários!
*****
Você vai ver que deixei links nos títulos dos livros. É um programa de afiliados da Amazon. Se você comprar através desses links, ganho uma comissão ;)

SOBRE Santiago Live

0 comentários:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.