Polícia Militar apreende 300 Mil Reais dentro de Taxi em Feira de Santana

Policiais da Guarnição Agreste 05 da 67ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), apreenderam na manhã desta quarta-feira (05-12-18), a quantia em espécie de R$ 300 Mil Reais, que estavam no interior de um veiculo taxi, no Centro Industrial do Subaé (CIS), bairro Tomba, em Feira de Santana.

Segundo informações da polícia, a guarnição Agreste 05, fazia ronda quando percebeu dois homens em atitude suspeita no interior de um veículo táxi, nas proximidades da fábrica da Coca-Cola, no CIS. Os militares resolveram abordar os suspeitos e encontraram o dinheiro dentro de uma mochila.
Ainda de acordo com a polícia, um dos homens tentou fugir ao perceber a aproximação da polícia, mas foi detido. Como não explicaram a origem e o destino do dinheiro o taxista e o passageiro foram encaminhados para Central de Flagrante do Complexo de Delegacias do Sobradinho. Na delegacia o passageiro e nem o taxista falaram apenas que toda a quantia seria depositada em uma conta, mas não informaram a identificação do destinatário do deposito.
A Polícia Civil, disse que vai informar a Polícia Federal do ocorrido e provavelmente todos os valores apreendidos serão enviados para uma conta bancária judicial (na Caixa, em caso de reais, e no banco Central no caso de dólares) e ficam à disposição da Justiça Federal..
Destino do Dinheiro Apreendido
De acordo com a Polícia Federal, todo o dinheiro apreendido em ações de qualquer natureza são enviados para uma conta bancária judicial e fica à disposição de um juiz federal responsável pelo processo que, por meio de sua sentença, decretará o destino da quantia apreendida.
Tráfico e corrupção
“Quando o dinheiro é originário de crimes como o tráfico, por exemplo, ele é encaminhado aos cofres do Tesouro Nacional”, explica o supervisor de Processos de Desvio de Dinheiro da 11ª Vara da Justiça Federal no Ceará, Agnor Júnior.
Segundo ele, dependendo da configuração da infração, o valor também pode ser devolvido às vítimas. É o que acontece com os casos de corrupção, onde a determinação judicial sempre obriga o reembolso do valor desviado à União. “No caso do assalto ao Banco Central, a sentença dos acusados pedia o reembolso do dinheiro à instituição bancária”, explicou Agnor.
Destino
Uma vez nos cofres públicos, todo o volume financeiro é revertido para investimentos em projetos e obras de benefício coletivo, afirma o representante da Justiça Federal.
Fonte: Políciaéviola
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário