A advocacia está chegando ao fim. Você acredita nisso?



Antes de começar a discorrer sobre o tema do título, acho que seria justo me apresentar para vocês. Afinal, quem é essa Gabriela dizendo que a advocacia convencional pode acabar?

Algumas pessoas me conhecem do instagram e da minha carreira no mundo jurídico como um todo. Eu sou registradora civil e tabeliã, especialista em Direito Imobiliário, dona do instagram @seujuridicoimobiliario, e uma grande defensora da advocacia extrajudicial.
Um dia desses eu estava vendo alguns dados do CNJ e me surpreendi com alguns números. O Brasil ultrapassou a marca de 1 milhão e 100 mil Advogados e a taxa de congestionamento dos processos em nível nacional, no ano de 2017 ultrapassou 74%. Eu fiz um pequeno experimento com apenas essas duas informações e quero lhe contar um pouco sobre ele.

O experimento

Eu sempre ando com muitas pessoas do meio jurídico: Advogados, professores, alunos, juízes, promotores e etc. Sempre que tinha oportunidade eu comentava sobre os dados do CNJ e comecei a perceber que existiam, em sua maioria, dois tipos de reações:
1- A pessoa se assustava
2- A pessoa se sentia motivada
Enquanto professora de universidade e ministradora de alguns cursos, eu sempre fiquei preocupada com a reação de medo/susto das pessoas diante de situações desafiadoras. Eu sempre quis que os meus alunos e colegas pensassem "fora da caixa". Mas agora, a minha pergunta é pra você que está lendo aí do outro lado.
Quando você leu os dados que eu trouxe do CNJ, você se assustou ou se motivou?

“Eu me assustei”

Se a sua reação foi se assustar com o dado, temos um longo caminho a percorrer para tentar mudar essa percepção. Mas apenas imagine que ficar assustado e com medo é o senso comum, é pensar "dentro da caixa", é zona de conforto. Ninguém nunca mudou nenhum paradigma com medo das situações. Milhares de advogados muito bons hoje, escolhem os concursos públicos como fuga da advocacia. Seria essa a melhor opção para você?

“Eu me motivei”

Eu não queria dizer isso lá em cima, para não parecer mal educada (rs). Mas se você se motivou com as informações, eu estou escrevendo principalmente para você. E eu vou te passar agora uma informação que eu não havia passado antes. Siga comigo!
De um lado temos o CNJ dizendo que a taxa de congestionamento do judiciário em nível nacional ultrapassa 74%, de outro lado temos uma análise do CNB afirmando que os Cartórios de Notas retiraram mais de 2 milhões, leia de novo: 2 milhões de processos da Justiça.
Você pensou o mesmo que eu, certo? A verdade é que atualmente o âmbito judicial pode não ser tão interessante, mas existe toda uma gama extrajudicial, pouco explorada pelos Advogados.

“Massa Gabriela, mas que gama é essa?”

Essa gama corresponde a atos em que a presença do Advogado é obrigatória e atos que a presença do Advogado apesar de não ser obrigatória poderá ampliar o rol de serviços ofertados ao cliente. O advogado focado no extrajudicial ao invés de se preocupar com o preço de seu serviço, ele passará a se preocupar em fazer com que o cliente enxergue valor no seu trabalho.
Como eu falei lá em cima, o medo não traz mudanças. Se você fizer a mesma coisa que todos os outros advogados fazem, você terá o mesmo resultado que eles. E pense comigo: Quantos advogados não vemos por aí, insatisfeitos com a advocacia?
A sua principal ação, neste momento, é adquirir conhecimento. Com o conhecimento, você movimenta sua força de trabalho e começa a agir com precisão, gerando mais ação. E com essa ação gerada após o conhecimento, o que você vai ter?

Honorários advocatícios!

Essa frase faz as pernas de qualquer advogado tremer, de felicidade. Mas lembre-se que não existe honorários sem conhecimento. Nunca! Conhecimento aliado a ação gera milhares de oportunidades.

“Como eu consigo adquirir esse conhecimento Gabriela? Agora eu quero saber!”

Eu tenho alguns bons anos de experiência na advocacia extrajudicial e hoje, a minha profissão me ajudou bastante a ter uma bagagem que poucos tem nesse ramo. No meio do caminho me encontrei com mais uma Gabriela que também é fera na advocacia extrajudicial e vai me ajudar a te tornar uma fera nisso também!
Estamos lançando nossa segunda turma do curso de Advocacia Extrajudicial. Não se trata de um curso teórico ou um simples curso prático, nosso curso é muito mais que isso, é a oportunidade de você revolucionar a forma como exerce sua advocacia, a partir de análises técnicas, estudos de casos e aplicações práticas.
Você não pode perder a oportunidade de começar o ano de 2019 com sua advocacia totalmente reformulada, com atuação fora do judiciário e com grandes possibilidades de êxito , de forma célere, segura e mais econômica para seu cliente.
Vamos juntos, mostrar que a advocacia ainda vive, independente de qual meio.
Por fim, gostaria de saber a sua opinião: A advocacia convencional está morrendo? Comente! Quero muito saber a o que vocês pensam sobre o assunto.
Para maiores informações sobre o curso, clique aqui.
Para conhecer um pouquinho mais sobre mim e a outra Gabriela, você pode nos seguir no instagram: @seujuridicoimobiliario e @falecomaadv
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário