Indústria e agronegócio em debate nas oficinas do projeto de Desenvolvimento Econômico Sustentável Feira 2030


“O papel do Plano Diretor do Desenvolvimento Econômico Sustentável é semear as sementes cujos frutos serão colhidos pelas futuras gerações, assim como as gerações que nos antecederam fizeram ao implantar, na região, as sementes desenvolvimentistas do nosso polo Industrial”.

A assertiva do secretário Antônio Carlos Borges Júnior (Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico), define bem o espírito da oficina dos setores industrial e da agroindústria, ocorrida na tarde desta quarta-feira, 28, no auditório do SESI, no segundo dia de debates e propostas do Projeto Feira 2030.
Contando com a participação de agentes econômicos e técnicos que se debruçam sobre as perspectivas futuras da economia local, a oficina se dividiu em duas etapas setoriais distintas com os seus respectivos temas transversais.
Neste âmbito, discutiu-se sobre as megatendências globais e as tendências futuras de evolução econômica. Nestas duas dinâmicas os participantes deram o seu contributo sobre os seguintes pontos de vista das potencialidades locais: força, fraqueza, ameaças e oportunidades oferecidas pela região.
Num segundo momento da dinâmica, os participantes expuseram suas visões e iniciativas que elas acreditam que poderão contribuir na construção do desenvolvimento futuro da região.
Estas oficinas foram coordenadas por Roberto Silva, gerente sênior da empresa de Consultoria EY, empresa contratada pela SUDENE para elaborar o Plano Diretor de Desenvolvimento Econômico Sustentável de Feira de Santana.


Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário