Como buscar jurisprudência com sucesso? Aprenda já!


Com a ascensão da internet e sua difusão aos mais variados grupos sociais, a informação está amplamente exposta e de fácil acessibilidade. Realizam-se simples buscas no mecanismo Google ou em qualquer outro similar e o resultado vem à tona.

Entretanto, é evidente que tais informações nem sempre são corretas ou pertinentes àquela particular situação. No âmbito da pesquisa jurisprudencial também é assim que acontece.
Por esse motivo, surge a importância de conhecer os comandos vitais para pesquisas jurisprudenciais coerentes.
Venho compartilhar com vocês, por conseguinte, algumas dicas que conheço e que entendo absolutamente necessárias, destacadas adiante.
As dicas possuem maior aplicabilidade nos sites dos Tribunais, entretanto, podem ser utilizadas em outros mecanismos de busca, que, em grande parte, são programados com algoritmos parecidos.
1. Busca nos sites dos Tribunais
Tomemos, como exemplo, o site do Superior Tribunal de Justiça:
Na imagem acima, verificam-se diversos campos passíveis de preenchimento, o que possibilita uma busca por termos específicos, conectivos e até por proximidade.
Ademais, veja que há margem para pesquisar legislações e artigos determinados; nesse caso, o mecanismo irá apresentar a jurisprudência em torno de todo aquele codex ou dispositivo legal.
2. Utilização de aspas
A utilização das aspas antes do trecho buscado pelo pesquisador delimitaquais palavras aparecerão na busca e a ordem exata em que estarão concatenadas.
Por exemplo, ao pesquisar "aposentadoria do servidor público", o mecanismo somente irá fornecer resultados que reproduzam exatamente o que foi escrito no interior das aspas, observando, inclusive, a sua ordem.
3. Aposte no sinônimo
Às vezes, o conteúdo buscado apresenta grande volume de informações e ainda assim o pesquisador não encontra qualquer resultado compatível. Isso pode se dar, em parte, porque o termo ou palavra utilizados não remetem ao modo pelo qual a maioria do público online pesquisa.
Deve-se, por conseguinte, analisar a área e o tema da pesquisa, perquirindo saber se há uma variação sinonímica utilizada nessas buscas.
4. Atente-se ao vocabulário e à língua portuguesa
Nenhuma busca satisfatória realizar-se-á quando a palavra buscada estiver escrita incorretamente ou sequer existir no vocabulário.
Gírias e expressões regionais utilizadas no diálogo oral comumente são modificadas quando da escrita, a fim de se adequarem ao padrão culto.
Sempre que despertar dúvida acerca de uma determinada palavra, acesse o VOLP – Vocabulário Ortográfico de Língua Portuguesa. O VOLP contém a ortografia não oficial de nossa língua. Não obstante, é constantemente utilizado como referencial em matérias linguísticas, enquanto o VOCLP (este é oficial) encontra-se pendente de conclusão.
5. Faça bom uso dos conectivos E e "OU"
Utilizando-se do conectivo ''E'', o pesquisador define as palavras que necessariamente deverão constar no texto, não havendo importância na ordem de escrita. O detalhe reside no fato de que o texto resultante da busca abarcará todas as palavras utilizadas.
Diversamente, com a utilização do conectivo "OU" a busca é ampliada, mas não tão precisa, na medida em que os textos apresentados poderão conter uma ou outra palavra. Isto é, não haverá, necessariamente, o encontro de todos os termos inseridos.
Atenção: quando utilizar a busca pelo conectivo "OU", esqueça o uso de artigos e preposições! Afirma-se isso porquanto em qualquer texto, artigo científico, publicação ou notícia haverá a presença de alguma dessas duas classes gramaticais, tornando o resultado deveras incerto.
Nota: em alguns casos, no lugar de "OU" será utilizado "OR", e no lugar de ''E'' far-se-á sua exclusão.
6. Separe a jurisprudência atual da vetusta pelo Google
Outra técnica muito importante e que muita gente desconhece é a pesquisa por data no Google.
A importância é indiscutível, visto que a jurisprudência está em constante modificação, e um erro neste sentido pode prejudicar fatalmente a fundamentação jurídica.
Para utilizar esse mecanismo, basta acessar o Google, pesquisar algum termo, e logo em sequência, clicar em Ferramentas, selecionando o período de seu interesse.
Veja os resultados na imagem abaixo:
Consoante as setas azuis alinhadas à esquerda, nota-se que a pesquisa retomou somente os períodos até o mês imediatamente anterior, atendendo ao que foi programado.
7. Exclua palavras
Com a aposição de um hífen (-), seguido de um termo específico, haverá a exclusão dele na busca almejada.
Por exemplo, se sua pesquisa for prisão -civil, os termos relacionados à prisão civil não aparecerão. A busca será objetivada à prisão de todas as formas, excetuando, contudo, a modalidade de prisão civil, considerada como aquela aplicável ao devedor de alimentos.
8 – BÔNUS: Tips & Tricks do Google!
Além das dicas de pesquisa jurisprudencial, colaciono outro mecanismo no qual acredito deter suma importância, não estando restrito a buscas jurídicas.
É propriedade do Google (CLIQUE AQUI)contendo uma quantidade generosa de Dicas e Truques para pesquisas na internet, e em que pese a sua utilidade, pouca gente o conhece.
No mais, espero sinceramente que esse breve artigo possa ajudar vocês a obterem maior direcionamento em suas pesquisas online, aproveitando todo ouro que a internet lhes permite garimpar.
__________________________________________________
Gostou do artigo? Clique em RECOMENDAR para que possamos compartilhar o conteúdo!
Um grande abraço!
É advogado e quer ter acesso ao kit com + de 20.000 modelos de petições? CLIQUE AQUI!
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário