'Ano letivo de 2019 depende da reformulação do plano de carreira e precatórios', afirma presidente da APLB


Os professores da rede municipal de Feira de Santana continuam em estado de greve. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação (APLB)  o ano letivo de 2019 depende da liberação dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), reformulação do plano de carreira e dos precatórios.

Foto: Paulo José/Acorda Cidade
Em assembleia realizada na última quarta-feira (31), Marlede Oliveira, presidente da APLB Feira, disse que no dia 27 de novembro a categoria vai à prefeitura para tentar negociar essas questões com o prefeito Colbert Martins da Silva.
Foto: Paulo José/Acorda Cidade
“Os trabalhadores querem negociar e se assim não for não vamos começar o ano letivo de 2019. Só depende do prefeito. Porque ele está com o dinheiro, o dinheito continua nos cofres co município e não vamos abrir mão desse recurso que 60% é nosso”, finalizou.
Fonte: Acorda Cidade
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário