Seja Digital: coordenadora tira dúvidas sobre distribuição do kit gratuito


O desligamento do sinal analógico de televisão em Feira de Santana e outras 16 cidades está previsto para acontecer no dia 05 de dezembro. Após essa data, só será possível assistir a programação da televisão aberta por meio do sinal digital.

A distribuição do kit gratuito é uma das missão da Seja Digital, uma entidade não-governamental e sem fins lucrativos, criada por determinação da Anatel para operacionalizar a migração do sinal analógico de TV para o digital. 
Em entrevista ao Acorda Cidade, na manhã desta quinta-feira (18), a coordenadora regional da entidade, Carolina Tosta, explicou como o trabalho está sendo realizado e o que é necessário para ter direito ao kit digital gratuito. Confira:
Acorda Cidade: Como é que funciona a Seja Digital?
Carolina Tosta: A Seja Digital foi criada conforme uma determinação da Anatel para fazer todo o processo de migração do sinal analógico para o digital da TV aberta. Uma das nossas missões é fazer a distribuição dos kits gratuitos para as famílias de menor renda, que não tem como comprar o equipamento, que recebe algum tipo de benefício social e que tenha o Número de Identificação Social (NIS). 
Mas temos outras atribuições, incluindo a comunicação à população sobre o desligamento para que todo mundo esteja preparado antes do desligamento do sinal analógico antes do dia 05 de dezembro. 
AC: Vocês começaram esse trabalho em Feira quando?
CT: O trabalho foi iniciado em Feira de Santana no mês de julho, temos alguns meses de trabalho intenso aqui na região. Nós estamos fazendo a divulgação e mobilização social nos municípios e estamos fazendo o trabalho de apoio a instalação. Portanto, as famílias que ainda não fizeram a sua instalação, nós teremos instaladores percorrendo os bairros de feira de Santana e de outras cidades da região que terão o desligamento para apoiar as famílias a fazer a instalação. 
Quem retira o kit gratuito e faz a instalação, também pode concorrer a promoção de instalação premiada que concorre a prêmios de dois mil reais. 
AC: Quantos kits já foram distribuídos na cidade?
CT: Mais de 103 mil kits já foram distribuídos. A nossa meta é entregar até 160 mil em Feira e região. Ainda temos muitas famílias a serem sensibilizadas e a gente reforça que as pessoas façam a conversão o quanto antes. 
AC: Para as pessoas terem acesso ao técnico, o que deve ser feito?
CT: Assim como a retirada do kit, em que a gente precisa fazer um agendamento, a gente também faz a instalação mediante o agendamento prévio, que pode ser feito por ligação ou whatsapp, através do número (75) 9 9868-4953, que está em funcionamento a partir de hoje. 
As instalações acontecem a partir da semana que vem, depois do curso de capacitação com os instaladores, que será realizada na próxima terça-feira, que está com inscrições abertas e é gratuito, através do número (75) 9 9868-4953 ou email inscricaocurso.sejadigital@gmail.com.
Os instaladores que fizerem a capacitação gratuita podem ser selecionados para trabalhar com a gente em vagas temporárias. 
AC: O que compõe o kit digital?
CT: O kit é composto de aparelho conversor, controle remoto e antena digital. O conversor só precisa ser utilizado nas televisões analógicas (de tubo). As televisões fabricadas depois de 2010 já possuem conversor embutido. 
Não é necessário trocar a televisão mas para quem vai trocar o aparelho, a Seja Digital orienta que faça uma doação ou descarte o aparelho no lugar correto.
AC: Quem tem direito ao kit gratuito?
CT: O kit gratuito está sendo distribuído para as famílias que possuem o Número de Identificação Social e não é só quem recebe o Bolsa Família, porque são mais de vinte programas sociais inclusos. Quem tem o NIS deve ligar para o número 147 ou entrar no site sejadigital.com.br/kit 
Quem não recebe esses benefícios, deve comprar. O mercado já está disponibilizando o equipamento.
AC: Como está sendo feita a distribuição?
CT: A pessoa liga para o 147 ou acessa o Seja Digital, informa o Número de Identificação Social (NIS) e ela verifica que tem direito ao kit, ela pode escolher um dia, horário e local para fazer a retirada. A vantagem de fazer o agendamento prévio é poder atender todos os beneficiários de forma tranquila. 
AC: Qual é a diferença entre o sinal analógico e o sinal digital?
CT: Se você ainda estiver assistindo à televisão e ainda aparece o ‘A’ durante a programação, isso indica que você ainda está assistindo ao sinal analógico. Agora, se você assiste a programação local, com os canais em que o formato do canal é um número, um ponto e outro número, isso indica que o sinal é digital. 
AC: Um conversor é suficiente para uma casa ou cada aparelho analógico precisa de uma conversor?
CT: O conversor é individual. Cada aparelho de televisão analógica precisa de um conversor digital mas a antena digital pode ser usada para mais de um aparelho, basta adaptá-la com uma peça pra que se possa puxar fio para mais de uma televisão. 
Televisões com duas entradas funcionam com o conversor, mas é importante verificar com um técnico se a televisão está em bom estado para a instalação do equipamento. 
AC: Quem é aposentado tem direito ao kit gratuito?
CT: Se a aposentadoria for pelo INSS, é preciso verificar a renda familiar per capita e a renda familiar mensal. Quem é aposentado pelo BPC (Benefício de Prestação Continuada) da LOAS, também tem o NIS, então é preciso verificar essa diferença.
AC: Os canais que ainda estão em analógico, até o dia 05 de dezembro serão canais digitais?
CT: As emissoras tem até essa data para se preparar para o desligamento do sinal analógico. 
AC: Para quem não tem direito ao kit, existem lojas credenciadas para a venda? E os preços são tabelados?
CT: A gente não credencia as lojas mas as que vendem o equipamento já estão sinalizadas. O preço varia de região para região mas nós fizemos algumas pesquisas informais, nós vimos que os preços estão variando entre R$100 e R$150.
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário