Polícias Civil e Militar terão equipes extras para reforçar a segurança durante as eleições

As polícias Civil e Militar vão reforçar o trabalho das forças de segurança durante as eleições 2018. As atividades começaram neste sábado (6), durante a montagem de todas as urnas nos colégios eleitorais e seguem até domingo (7), dia de votação, com o término da contagem de todos os votos. As forças de segurança vão atuar de forma conjunta e ainda com o apoio da Justiça Eleitoral e Polícia Federal.

O coordenador regional de Polícia Civil, o delegado Roberto Leal, informou que três equipes adicionais estão trabalhando, além das equipes da própria equipe da coordenadoria de polícia. Segundo ele, a Polícia Civil vai atuar dando apoio a todas as demandas oriundas principalmente da Justiça Eleitoral e fazendo procedimentos como termos circunstanciados de ocorrências e prisões em flagrantes decorrentes de crimes eleitorais.
“Nós temos as escalas normais que funcionam com um plantão com três escrivães, um delegado a cada período de 12 horas. Além disso, há plantão regional e o próprio plantão central. Nós temos também três equipes e cada equipe com um delegado, um escrivão e dois investigadores de polícia e a equipe da coordenadoria de polícia, que é um delegado, um escrivão e mais dois investigadores. Nós dividimos da seguinte forma: os delegados, que são três, trabalham de acordo com a demanda, as ocorrências são apresentadas, vinculadas ao pleito eleitoral e são distribuídas por todos eles. Nós atuamos nesse intuito, além de prestar uma assistência às cidades circunvizinhas que pertencem à área da primeira Coorpin e no que for necessário”, afirmou.
Roberto Leal comentou que as ocorrências mais comuns no período eleitoral são a boca de urna e problemas de vias de fato entre eleitores que têm opiniões distintas em relação aos candidatos.
Ele frisou que entre os dias 2 e 9 de outubro só acontecem as prisões em flagrante. São proibidas as prisões preventivas e temporárias. Prisões de pessoas foragidas podem acontecer e todas as prisões com mandados são comunicadas aos juízes eleitorais. As prisões em flagrantes seguem normalmente e esses presos ficam custodiados.
Reforço de 310 policiais militares
O coronel Luziel Andrade, comandante do Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL), destacou que a Polícia Militar fará o trabalho de forma conjunta com a Polícia Civil, com a realização de rondas normais e terá este ano um trabalho pioneiro nas eleições com policiamento em todas as sessões de votação. Haverá uma dupla de policiais atuando em todos os locais.
“Esse trabalho será feito desde este sábado e após a entrega de todas as urnas. Nos locais de votação terá um policiamento específico. Em local nenhum existe a disponibilidade de policiais como ocorrerá em Feira de Santana. Isso se deu graças ao curso de formação de soldados do 1º Batalhão de Ensino, Instrução e Capacitação (BEIC) e do curso de sargento que está se formando também no BEIC. São 310 policiais que serão agregados ao efetivo das companhias”, disse.
O coronel comentou que desses 310 policiais estão os alunos das cidades de Euclides da Cunha, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Alagoinhas e outras companhias.
De acordo com ele, o trabalho da PM nas eleições só encerra depois da apuração de todos os votos. Ele salientou que é o respeito ao direito do outro em votar é de grande importância e um comportamento que inibe a ocorrência de alguns tipos de conflitos.

Fonte: Acorda Cidade
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário