Indicado como ministro da Defesa em eventual governo de Bolsonaro tinha supersalário pago com verba pública



Figura-chave na campanha de Jair Bolsonaro (PSL) e nome indicado para assumir o Ministério da Defesa caso o candidato vença as eleições, o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira recebia um salário de R$ 59 mil no COB (Comitê Olímpico do Brasil) até o ano passado. Desse valor, 80% (R$ 47 mil) eram compostos por dinheiro público, revela reportagem de Rodrigo Mattos. A legislação brasileira estabelece como teto constitucional para funcionários públicos o valor de R$ 33,9 mil, que é o salário dos ministros do Supremo Federal Tribunal, usado como referência para vencimentos bancados com verba pública. O general diz que seu salário era legal e pago por entidade privada, e o COB diz que o teto não se aplicava ao dirigente.
 

Em outra reportagem, o jornalista Leandro Prazeres conta a história de um fundo ligado ao economista Paulo Guedes, o homem da equipe econômica de Bolsonaro, que lucrou R$ 590 mil com informação privilegiada e que por isso foi condenado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) em 2007. Advogados de Guedes classificaram a menção ao caso como "eleitoreira" e reiteraram informação de que Guedes não teve participação na operação.
 

A repórter Gabriela Fujita reconta a história do chocante atropelamento em que o ciclista David Santos Sousa perdeu o braço direito cinco anos atrás em São Paulo. Pela primeira vez desde então, o motorista Alex Siwek conversou com a reportagem sobre o caso e conta sua versão sobre o acidente. David Sousa declarou que o perdoa, mas desabafa: "Nada trará meu braço de volta".
 

E tem mais reportagem especial: mostramos como hospitais do SUS (Sistema Único de Saúde), apesar de serem referência em atendimentos, sofrem com superlotação, falta de médicos e de equipamentos


Fonte: ResumododiaUol
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário