Homem é acusado de amarrar o filho e jogar vítima em açude


Com o propósito de castigo, um vaqueiro está sendo acusado de amarras as mãos e pés do filho de 8 anos e jogar a criança em um açude localizado no distrito de Bonfim de Feira, em Feira de Santana. O Conselho Tutelar tomou conhecimento e encaminhou o caso para ser investigado pela polícia.

De acordo com apuração feita pelo Conselho, o pai teria castigado o filho porque o encontrou em um estabelecimento onde são realizados jogos e já havia advertido o menino.

A mãe da criança, Jaciane Lobo confirmou para nossa reportagem que o menino foi castigado pelo pai e que as agressões são constantes. “Várias vezes, ele bateu com chicote, bate de bota, com o que tiver ele bate no menino. Assustada e sentindo dores de noite, ele não está dormindo direito”, relatou a mãe.

Ela contou ainda que o acusado disse para um familiar que praticou o castigo para a criança tomar banho. Jaciene revelou que está com medo de represálias do ex-companheiro.

A conselheira tutelar Érica Moreira informou que o caso foi descoberto através de uma denúncia da escola onde a criança estuda. “A escola ligou para o Conselho e encaminhou a denúncia através de e-mail, e fomos até lá e chegando, a gente já conversou com a criança, que confirmou todas as agressões, tanto psicológicas, como físicas, e a criança alegou que foi amarrado nos braços e nas pernas e foi jogado duas vezes dentro desse açude, e quando ia se afogar, ele (pai) tirava ele, puxava”, informou a conselheira.

Após ouvir a vítima e a mãe, o Conselho Tutelar encaminhou o caso para a DERCA – Delegacia Especializada de Repressão a Crime contra Criança e Adolescente. O menino também passará por acompanhamento psicológico no CREAS - Centro de Referência Especializado de Assistência Social.

O pai será intimado pela delegacia para prestar esclarecimentos sobre o caso. Ele não foi localizado por nossa reportagem.

Fonte: Central de Polícia
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário