O que fazer quando o Juiz indefere sua pergunta na audiência



Hoje eu trago uma entrevista que o Dr. José de Andrade, juiz de direito há mais de 16 anos fez com o Professor e Defensor Público Rodrigo Alvarez.

Durante a entrevista, o Dr. José de Andrade perguntou ao professor qual um dos maiores equívocos que ele vê sendo cometido por juízes.
É lógico que como todo profissional, o juiz também comete erros na sala de audiência e também está suscetível a falhas.
Vamos lá?
Dr. José de Andrade:
Prof. Rodrigo, conte um pouco da sua experiência na sala de audiência, principalmente nessa parte que você vê alguns juízes cometerem algum equívoco, e o principal, o que o advogado deve fazer para que o seu cliente não seja prejudicado?
Professor Rodrigo Alvarez:
Não é uma coisa rara de acontecer. Os juízes indeferem perguntas que algumas vezes foram feitas de forma acertada por diversos motivos.
Quando o advogado tem razão naquilo que quer perguntar e mesmo assim o juiz indefere a pergunta, o advogado tem duas saídas.
A primeira é o advogado refazer a sua pergunta reformulando de forma que fique de melhor entendimento para que o juiz possa entender o que o advogado quer.
A segunda é o advogado explicar para o juiz o motivo da pergunta ser tão importante para o seu caso.
Se for uma audiência com um sistema mais moderno de gravação e o juiz indeferir a pergunta mesmo assim, depois, no seu recurso, se for um procedimento criminal por exemplo, o advogado pode alegar um cerceamento de defesa e assim por diante.
Agora se não for, é importante que o advogado peça para que o juiz consigne em ata o porquê da sua pergunta ter sido indeferida, a pergunta que foi feita e o indeferimento dela para que depois o advogado possa levantar uma colocação que tenha em relação a isso.
Nunca, em hipótese alguma o advogado deve entrar em um debate mais acalorado com o juiz, isto porque ele pode acabar prejudicando seu cliente.
O melhor é tentar explicar a situação e se mesmo assim o juiz não autorizar aquela questão, tudo bem! Peça apenas para acompanhar, pois se foi gravado, já constou ali. Parta para a próxima questão.
Dr. José de Andrade:
Eu vejo o mesmo acontecer na prática. A depender da forma como é exposta a pergunta, pode acontecer do juiz não entender ou entende erroneamente e indeferir a pergunta.
Acho que é uma ótima saída tentar realmente convencer o juiz que a pergunta é pertinente.
Bom colega, como você viu é só saber como proceder e utilizar o bom senso, sempre! Mas saber como proceder, em alguns casos, requer conhecimento e prática jurídica.
Corra que as aulas só ficarão disponíveis até o dia 17 se Setembro.

Clique Aqui e Inscreva-se Agora mesmo

Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário