Boi de 1 milhão de reais e até ratos sem pêlos marcaram a 43ª edição da Expofeira


Quem teve a oportunidade de visitar a 43ª Exposição Agropecuária de Feira de Santana (Expofeira), pode ver muita gente, muitos animais exóticos, além de novidades e várias coisas inusitadas. A criatividade marcou a exposição e os passeios pelo parque. Os olhares eram atraídos pelos brinquedos diferentes dos vendedores ambulantes, até um boi ‘gigante’ e um criador que fazia questão de exibir pendurados no pescoço dois ratos sem pêlos enquanto tinha nas mãos um gato de bengala.
Foto: Rachel Pinto/Acorda Cidade
Toda essa experiência sensorial , mexeu com a imaginação e ficou na memória de milhares de visitantes que foram ao Parque João Martins da Silva.
Foto: Rachel Pinto/Acorda Cidade
Não foi difícil encontrar o touro “Nanssur”, que mesmo não estando à venda, é avaliado em 1 milhão de reais. O “bichão”, podia ser achado até por acaso. Contanto que a curiosidade do visitante percebesse que era senão um dos maiores, o maior touro que estava na Expofeira.
Com 1.500 kg, Nanssur é da raça nelore e assume a função de reprodutor. Segundo o tratador Joaci Lima dos Santos, o sêmen do boi é destinado a comercialização e ele é tão especial que tem implantado em sua orelha um chip de monitoramento eletrônico. De tamanha importância e valor econômico, Nanssur é monitorado 24h.
Joaci explicou que apesar ser tão grande e até intimidar pessoas e outros animais, Nanssur é um boi muito tranquilo e manso. É maior reprodutor da fazenda onde vive e também têm direito a alguns cuidados especiais.
Foto: Rachel Pinto/Acorda Cidade
“Ele come silagem com milho, ração concentrada e toma os remédios e vitaminas receitados pelo veterinário. Também dou banho e passo a lixa no pêlo para ele ficar mais bonito”, frisou.
Foto: Rachel Pinto/Acorda Cidade
E por falar em pêlo, o criador de animais Gideon Souza, estava chamando a atenção de muitos visitantes no parque com dois ratos sem pelagem, um gato de bengala e um mini-coelho. O mais engraçado é que ele colocava os ratos bem pertinho do gato e eles se lambiam e demonstravam que viviam em plena harmonia.
Gideon contou que cria alguns animais por hobby e gosta de ter espécies diferentes. Os ratos pelados são de espécies raras e no Brasil há apenas 5 criadores.
Foto: Rachel Pinto/Acorda Cidade
“Esses ratos são domésticos, chamados 'hairless' . Eu resolvi criá-los junto com o gato de bengala e também o mini-coelho porque gosto de coisas diferentes. Eles se dão muito bem, são amigos e eu gosto muito desse contato com os animais, desde criança”.
Sobre a reação das pessoas quando veem os animais juntos principalmente quando coloca os ratos no pescoço, Gideon afirmou que percebe muitas opiniões. No entato, não se importa e respeita. A sua única preocupação é a segurança dos ratos, caso venham a fazer amizades com outros gatos que não sejam o gato de bengala.
Foto: Rachel Pinto/Acorda Cidade
“Tem gente que acha bonito, já outras pessoas acham feio. Isso é normal e eu encaro com naturalidade. Eu só não me arrisco soltar os meus ratos perto de outros gatos, porque aí, eles podem acabar virando comida”, brincou.

Fonte: Acorda Cidade
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário