Aumento no Ideb é reflexo do fortalecimento pedagógico da Rede Municipal de Educação


Com o foco voltado para o ensino e aprendizagem das crianças, as ações e atividades pedagógicas são a principal estratégia para o avanço da Rede Municipal de Educação. Esta semana, a Rede conheceu o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, Ideb, com base na avaliação de 2017. Na análise, as escolas municipais ficaram com nota 4,4 nas séries iniciais do Ensino Fundamental – do 1º ao 5º ano, faltando apenas um décimo para atingir a meta projetada pelo Ministério da Educação, 4,5.

Nos últimos cinco anos, o Ideb da Rede Municipal subiu de 3,4, em 2013, para 4,0, em 2015; e deste para 4,4, nesta última análise. Isto garante ao conjunto das escolas um avanço sempre superior ao índice médio esperado para cada biênio – que é de 0,3.
“Obviamente esperamos crescer ainda mais, no entanto, o resultado mostra que estamos acima da média”, avalia a secretária de Educação, professora Jayana Ribeiro.
Nesta última análise, 80 escolas da Rede foram avaliadas - destas, 66 tiveram aumento em comparação ao índice anterior; 40 ficaram acima da meta esperada e três atingiram a nota esperada. Oito ficaram com o mesmo índice e seis escolas regrediram.
O Ideb é o principal indicador da qualidade da educação básica no Brasil. É calculado com base nos resultados das provas de português e matemática aplicadas a cada dois anos e no fluxo escolar – taxa de aprovação, reprovação e ainda abandono dos estudantes.
Conjunto de estratégias
Diversas ações foram elaboradas para promover o fortalecimento do trabalho pedagógico nas escolas municipais de Feira de Santana. Os professores – peça fundamental para a melhoria e implementação de ações voltadas à aprendizagem das crianças – participam periodicamente de encontros de formação continuada. Este ano, parte da reserva de carga horária atribuída ao trabalho destes profissionais é dedicada às formações.
“A Seduc promove diversos encontros de formação para professores que atuam desde a Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e ainda na Educação de Jovens e Adultos. Cerca de 8h por mês são dedicadas para reunirmos estes profissionais e discutirmos juntos temáticas importantes, mantendo sempre o foco para o trabalho em sala de aula”, defende a professora Jozelia Araujo, diretora do Departamento de Ensino da Secretaria.
Segundo a professora, as orientações também são voltadas aos diretores, agora mais comumente chamados de gestores escolares – aos quais compete a administração da escola – e ainda aos coordenadores pedagógicos. “Sabemos a importância do trabalho em equipe bem articulado dentro das unidades de ensino, então os gestores são parte fundamental”, defende.
O trabalho realizado com os diretores visa favorecer a implantação de uma gestão democrática. “Buscamos o fortalecimento dos conselhos escolares para que as tomadas de decisões sejam de forma coletiva, contando com representantes de todos os segmentos da comunidade escolar”, explica a diretora Jozelia.
A secretária Jayana Ribeiro destaca a sistematização das ações. “Valorizamos as formações dos profissionais de Educação, mesmo considerando que todo o quadro da nossa Rede tenha graduação ou pós-graduação. Visamos o aperfeiçoamento destes profissionais sempre pensando na aprendizagem dos alunos”, argumenta.
Combate à distorção idade x ano
Nos últimos dois anos, a Rede Municipal investiu em dois programas que têm sido fundamentais para diminuir a distorção idade X ano, diretamente ligada aos baixos índices de aprendizagem. Em parceria com o Instituto Ayrton Senna, a Seduc implantou os programas Se Liga e Acelera Brasil, cujas ações visam garantir o rendimento das crianças que estão atrasadas ou que estão em processo de alfabetização.  
A equipe da Seduc estimula ainda o constante monitoramento da aprendizagem. O sistema digital implantado nas escolas colabora para facilitar a análise pelos professores e gestores. “Após cada trimestre, procuramos dialogar com os diretores e professores para analisarem seus resultados e pensarem em ações estratégicas, que contem também com o apoio da equipe pedagógica da Secretaria”, ressalta Jozelia.
No âmbito pedagógico, a Rede Municipal busca também o fortalecimento das estratégias de alfabetização. O programa Mais Alfabetização é uma delas, que procura para fortalecer e apoiar as escolas no processo de alfabetização dos estudantes regularmente matriculados no 1º ano e no 2º ano do Ensino Fundamental. É desenvolvido em parceria com o Ministério da Educação.
No que se refere à infraestrutura, a Secretaria de Educação investiu nos últimos cinco anos na construção de 32 Centros Municipais de Educação – CMEI´s – e escolas de Ensino Fundamental; ampliação e reforma de 80 por cento das 217 escolas já existentes. Além da aquisição de fardamento, diversos itens de mobiliário, equipamentos diversos e eletrônicos, específicos para a cozinha e preparo dos alimentos.
O objetivo é promover espaços mais agradáveis e adequados para alunos e professores.  “Se o pedagógico é imprescindível, acreditamos também que escolas com ambientes mais favoráveis colaboram muito para que os estudantes e profissionais se sintam estimulados e continuem se desenvolvendo”, defende a secretária.
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário