Com mais força, apoio e música, protesto dos caminhoneiros continua


Mesmo com as medidas apresentadas pelo presidente Michel Temer, o protesto dos caminhoneiros continua em Feira de Santana e em diversas cidades do país. O principal ponto de protesto em Feira é no bairro Cidade Nova, mais precisamente na BR-116 Norte, nos trechos da passarela Conceição Lobo e próximo ao posto desativado da Polícia Rodoviária Federal.


Lá os caminhoneiros têm recebido alimentos, água e produtos de higiene pessoal doados por pessoas da comunidade que demostram apoio ao movimento. Os motoristas declaram que a paralisação trouxe mais aproximação entre os colegas e que para suportar os vários dias longe de casa, muita música, bate-papo e principalmente a esperança de dias melhores motivam suas permanências firmes e fortes.


Em entrevista ao Acorda Cidade, o caminhoneiro Beto Bahia agradeceu o apoio da comunidade e explicou por que o movimento continua.

"Daqui a 30 dias os aumentos voltarão. Queremos uma resposta mais séria, mais benéfica para toda a sociedade brasileira e os caminhoneiros. Estamos em uma manifestação pacífica, a pista está livre nos dois sentidos, deixamos passar cargas vivas, medicamentos, ônibus, material hospitalar e estamos esperando uma resposta que atenda a todos os caminhoneiros do Brasil. Só assim a gente dá um fim. A redução de 46 centavos não é por um prazo longo, daqui a uns dias pode ter aumento de novo. Seria interromper uma manifestação enquanto a gente espera uma resposta melhor, de algo que realmente conceda a gente uma condição de sobrevivência. Tenho colegas que tinha três caminhões e hoje tem um e outros que tinha um caminhão e hoje não tem nenhum. O custeio das despesas, o pedágio alto, o combustível alto, não está adequado as nossas necessidades. Precisamos de ter nossas necessidades atendidas, de ter poder de compra, e de condições para podermos trabalhar no dia a dia transportando o progresso do país”, declarou o caminhoneiro reclamando também do valor baixo do frete.

Advogados apoiam o movimento
Cerca de 25 advogados autônomos de Feira de Santana declaram apoio ao movimento. Eles estiveram ontem no local de paralisação e conversou com alguns caminhoneiros. O advogado Cleber Freitas disse ao Acorda Cidade que os caminhoneiros demostraram a força que têm e que o movimento deles acordou o país.

“Estamos sensibilizados com a causa dos caminhoneiros que não é só deles, mas sim da população brasileira. Viemos prestar apoio jurídico, assessoria e também alimentos e outros material que ele precisam aqui. O país está acordando depois deste movimento. É uma classe que era alheia e menosprezada pela sociedade e agora está mostrando sua força, independente de sindicato. Diversos caminhoneiros que estão aqui, inclusive são autônomos”, disse.

Veja quais foram as medidas anunciadas pelo governo federal no último domingo (29) para tentar acabar com a paralisação:
-Desconto de R$ 0,46 no litro do diesel por dois meses;
-Isenção de pedágio para eixos suspensos,
-Preço mínimo do frete por meio de uma tabela de preços mínimos por quilômetro rodado no transporte rodoviário de cargas, determinada pelo governo.
-30% do frete da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para caminhoneiros autônomos.

Fonte: Acorda Cidade
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário