PL que regulamenta serviço de mototaxista é aprovado em 1ª discussão na Câmara de Vereadores


Foi aprovado por unanimidade, na manhã de hoje (4), em primeira discussão, na Câmara de Vereadores, o Projeto de Lei de autoria do poder executivo, que regulamenta o serviço de transporte individual alternativo complementar com uso de motocicleta de aluguel (mototáxi). O PL ainda passará por uma segunda votação.

Com a aprovação do projeto, os 500 mototaxistas legalizados que atuam em Feira de Santana, por meio de licitação pública, passarão a trabalhar através de alvará. Também foram disponibilizadas 250 novas vagas, totalizando 750.


A categoria acompanhou a votação nas galerias da Câmara Municipal e comemorou a aprovação. A presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Feira de Santana, Hulda Barros, afirmou, em entrevista ao Acorda Cidade, que a comemoração começou desde a terça-feira da semana passada, quando o prefeito José Ronaldo de Carvalho enviou o projeto para o legislativo.


“Ele enviou e o projeto foi aprovado por unanimidade, agora em primeira votação, e estaremos na segunda votação para selar essa comemoração, porque é uma vitória de muito tempo. Tem mais de nove anos que nós vimos lutando para que conseguíssemos o alvará. Foram muitos nãos, mas nós estávamos correndo atrás do sim. A categoria acreditou no nosso trabalho, me acompanhou em todos os momentos, os vereadores acreditaram, o procurador do município, doutor Cleudson Almeida, acreditou também, além do prefeito José Ronaldo”, afirmou.

Segundo a representante sindical, com o modelo de licitação, qualquer pessoa podia disputar por uma vaga de mototáxi na cidade.

“Com essa nova lei, ficarão de fora empresários, funcionários públicos, quem tem vínculo empregatício, e de fato vai trabalhar quem precisa. Agora nós teremos que fazer um curso que já veio do Contran, desde 2010, que é um curso de qualificação e trará mais transparência ao mototaxista. O profissional trabalhará com mais segurança, e isso será transmitido ao passageiro”, destacou.

Ainda de acordo com Hulda Barros, além dos 500 mototaxistas legalizados, atualmente há um universo de mais de cinco mil que trabalham clandestinamente. Ela espera que mais adiante o sindicato consiga aumentar o número de vagas.

“Se fosse da nossa vontade, nós legalizaríamos todos, porque se fossemos perguntar pra um pai de família, que leva o pão pra casa trabalhando clandestinamente, ele gostaria de ser legalizado. O prefeito nos deu mais 250 vagas e agora seremos 750. Quem sabe, lutando mais para a frente, a gente consiga aumentar esse número”, ressaltou.

Fonte: Acorda Cidade
Share on Google Plus

Sobre Santiago Live

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário